A descoberta do vinho
 
     Apesar de muitas pessoas intitularem bebidas fermentadas de frutas, como sendo vinho (exemplo: vinho de kiwi), só podemos chamar de vinho, a bebida fermentada a partir de uvas. 
     O vinho aparece inúmeras vezes em passagens históricas. Os Assírios, por exemplo, em 3500 a.C., já conheciam a arte de fabricação de vinhos. 
Pasteur publicou seus estudos sobre vinhos em 1866. Foi a revolução na fermentação. 
     O vinho faz parte da dieta alimentar do homem desde o Egito antigo, milhares de anos antes de nossa era. Um livro de Vogt (1963) afirma que a cultura do vinho já era conhecida por Sírios e Egípcios em 3500 A.C. Gregos compravam uvas em 600 A.C. 
     O vinho é uma bebida gostosa e saudável; Fornece calorias e vitaminas. "Quando a comida não for boa, o vinho se torna um coadjuvante importante". 
     A mais importante espécie de uva para a produção de vinho é a vitis vinifera, que com o avanço da tecnologia de produção do vinho, teve uma significativa melhora na qualidade e aumento de produção. Na metade do século XX os produtores conseguiram saltar de 146 galões de vinho por acre para 498 galões de vinho produzidos para cada acre de plantação de videiras. Essa melhora se deu pela utilização de tanques pressurizados para fermentação, aliado a baixas temperaturas, controladas durante o processo.