Carmenère: Uma exclusividade dos Chilenos

Na metade do século XIX, a europa teve suas parreiras de uva devastadas pelo fungo filoxera. A uva Carmenère, dizimada na frança neste período, foi identificada em meados de 1970 no Chile, único lugar no mundo onde sobreviveu e vingou. Antes disso, ela foi confundida e plantada como Merlot. 

A sobrevivência dessa varietal, provavelmente foi devido à localização geográfica do Chile, que está cercado por mar, cordilheiras, geleiras e deserto.  

É uma casta que exige solo seco e é difícil de cultivá-la. Porém os enólogos chilenos, que estão cada vez mais profissionais, deram conta do recado: Produzem com a Carmenère, vinhos muito elegantes e de bom corpo. 

E quem pensa que para apreciar esta variatal precisa descolar o bolso, está enganado. A Concha y Toro, casa tradicional no Chile, traz para o Brasil, o vinho Concha y Toro Reservado Carmenère, que pode ser encontrado a preços que variam entre R$15,80 e R$22,00. 

Outro Carmenère acessível é o Santa Helena, que casa muito bem com carnes vermelhas e pizzas fortes como a "quattro formaggi ". O preço varia entre R$18,00 e 26,00.