Domno do Brasil apresenta sua parceria com a Bodega Vistalba, de Carlos Pulenta!
     Segura do crescimento do setor de vinhos e espumantes no Brasil, o grupo Famiglia Valduga Co. investe em novo projeto e abre uma nova empresa, a  Domno do Brasil. Este projeto caracteriza-se por duas frentes de negócios: a importação de vinhos e a elaboração e exportação de espumantes. Em relação à importação de vinhos, a Domno do Brasil, acredita estar atendendo o perfil do consumidor brasileiro cuja predileção por importados é latente. 

     A jovem empresa marca sua estréia na importação com uma vinícola Argentina de muito prestígio, a Vistalba, do empresário Carlos Pulenta, personalidade do alto escalão daquele país com seus destacados vinhos produzidos em sua jovem vinícola em Luján de Cuyo, Mendoza.

     Nesta terça-feira, dia 24 de março, Carlos Pulenta vem ao Brasil para, junto com Juarez Valduga, apresentar as novas safras de seus premiados vinhos para os críticos e profissionais do setor de vinho. Em seguida, promovem outro encontro no Rio de Janeiro, no restaurante TErzetto. Em São Paulo, as degustações ocorrerão em casas de carnes, bem ao estilo argentino: Pobre Juan e North Grill. 

     Para Juarez Valduga (foto), a escolha dessa marca para iniciar a parceria se deu pela sinergia entre as duas empresas, ambas familiares, dedicadas ao mesmo público e com forte atuação na gastronomia. A Vistalba possui um fantástico restaurante - La Bourgogne - em sua sede que já foi premiado como o melhor restaurante de vinícola do mundo.

A história da Bodega Vistalba

     Vistalba é uma propriedade rural familiar constituída por uma longa extensão de vinhedos, onde é realizado o plantio e colheita das uvas e também o armazenamento dos vinhos. A fazenda localiza-se na cidade de Mendonza, Argentina, onde o progresso da viticultura começou cedo, no século XVI, junto com a colonização espanhola.

     A história da marca Vistalba começou há mais de 60 anos, quando a família Pulenta iniciou o plantio de videiras na região. A família foi uma das precursoras na indústria do vinho daquela região, e até é hoje é uma das referências do país. A empresa é reconhecida pela dedicação na elaboração de vinhos elegantes e completos.

     Carlos Pulenta, atual presidente e proprietário da Bodega Vistalba é a segunda geração de uma família com larga tradição nesta arte. Ele recorda que em sua infância percorria uma grande extensão de vinhedos junto a seu pai. Revela também que cresceu ao redor dos barris de vinho e possui imensa paixão pelo assunto. 

     Sua adoração pelos vinhos é tão profunda quanto sua experiência no assunto. Antes de comandar a Bodega Vistalba, Carlos fundou a Bodega Peñaflor – Trapiche, deixando-a para assumir a presidência das Bodegas Salentein. Além destas destacadas atividades no mundo do vinho, também foi Presidente da Bolsa de Comércio de Mendonza e é Consul Honorário da Finlândia, Reino Unido e Reino dos Países Baixos.

     A Vistalba produz vinhos de corte de uvas cultivadas no Vale de Vistalba e chamados simplesmente de Corte A, B e C. Cada corte representa seu próprio e completo universo. Em sua produção usa as cepas Malbec, Cabernet Sauvignon, Merlot e Bonarda que variam anualmente. Para cada corte selecionam o melhor de cada colheita e são tratados e armazenados na moderna unidade que construíram. 

     O enólogo responsável pela produção dos vinhos Vistalba é Alejandro Cánovas que apesar de jovem, já participou de 14 vindimias, em várias bodegas como Dolium – Arturo Naranjo – Catena Zapata (Agrelo); Bodega Trapiche; Bodega Martin`s Domingo; Bodega Familia Barberis; Grupo Vitivinicola De Tupungato (Altus) e está trabalhando ao lado de Carlos Pulenta na Vistalba desde 2001

     A edição de marco de 2009 da revista Wine Spectator, a mais importante publicação sobre vinhos nos Estados Unidos, publicou uma avaliação com os maiores vinhos de quatro países: Argentina, Chile, França e Estados Unidos. Os produtos da Bodega Vistalba conquistaram resultados surpreendentes, sendo 93 a nota mais alta que algum vinho Argentino conseguiu nessa avaliação. O Vistalba Corte A 2005 obteve 93 pontos, a maior pontuação entre os argentinos. O Vistalba Corte B 2005 somou 92 pontos e o Tomero Gran Reserva 2006 recebeu 91 pontos.

Vinhos Tomero

     Os vinhos Tomero são frescos e jovens. Cada um deles expressa de maneira particular as características da varietal que o compõe. A figura do Tomero no rótulo é uma homenagem ao trabalhador responsável pela distribuição e manejo da água destinada à irrigação dos campos, tarefa vital para o desenvolvimento do plantio da região.

     As uvas dos vinhos Tomero provêm da grande propriedade rural “Los Alamos”, localizada na região de mesmo nome, na cidade de Tunuyán, próxima à Mendonza.  São 352 hectares de área cultivada de vinhedos e nogueiras. Os primeiros cultivos aconteceram em 1980 e tem se seguido ano após ano. As uvas provenientes da fazenda Los Alamos transformam-se em vinhos na bodega Vistalba. 

Comercialização: Domno do Brasil  - www.domno.com.br

 www.SegredosDoVinho.com.br